Conte uma História

Quais são seus medos?

Por 3 de agosto de 2015 agosto 7th, 2015 Sem Comentários

Tenha cautela, não tenha medo!

Algumas estatísticas apontam que o medo na atualidade está estritamente ligado ao avanço da violência. A sensação de insegurança gera tensões e quando as tensões são muito intensas desencadeiam doenças, entre elas a muito divulgada Síndrome do pânico.

O medo cria obstáculos, retrai e afeta o nosso cotidiano. Além obviamente de atrapalhar nossos projetos. Eu particularmente creio que os medos vão mudando conforme as fases da vida.
Quando crianças temos medos de escuro, de dormir sozinhos.

Na juventude os medos são outros: medo de perder a namorada, de não ser aceito ou ser excluído por seus pares. Já na fase da maturidade o medo ganha outros matizes: medo de envelhecer e perder a beleza, medo de doenças, medo de morrer e medo de incapacidades advindas da idade.

Na atual fase da minha vida já me encontrei a frente de alguns medos: medo de avião (que enfrentei, porque creio que se o avião cair, não sobra nada mesmo e a morte é certa).

Medo de cobra – que exorcizei em um zoológico de Buenos Aires. Medo de aranha, enfrentado na floresta Amazônica e finalizando, meu maior medo: viajar sozinha. Superei este medo quando entrei de licença prêmio no meu trabalho e não havia ninguém que pudesse me acompanhar em uma viagem de quinze dias a Buenos Aires. Diante desta situação, das duas uma, ou eu teria que viajar sozinha, ou ficaria em casa três meses dormindo e lamentando.

Advinha o que escolhi? Optei por enfrentar os meus medos, que no caso seriam perder uma conexão, ficar sozinha, ficar doente, ser assaltada, etc. Felizmente nada disso aconteceu. Se ficasse doente, estava preparada financeiramente e procuraria um hospital.

Quanto a ser assaltada, tomava todas as precauções, circulava pelas ruas discretamente carregando celular, máquina fotográfica, mapas, pois gostava de fazer meus trajetos a pé para conhecer mais a cidade. Se por ventura me cansasse ou me perdesse, pegava um taxi e boralá pro hotel!!

Em nenhum momento me senti sozinha ou com medo. A única coisa que me incomodou muito, foi olhar pra cor do meu esmalte que durante quinze dias foi a mesma cor, sou meio chata nesse aspecto. Atravesso assim o espaço do medo e torno-me mais independente a cada dia que passa!!
E você, faz o que para enfrentar seus medos?

Screen Shot 2015-08-03 at 13.58.33

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.